quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Regressão - poema-canção da Camila

De volta ao começo
amanheço cansada
olho no relógio
sem tempo de estar atrasada


Os dias passavam
e os ventos já levaram
a marca do sorriso
os beijos, só comigo


E a mente aberta
descoberta,
mentira
causa a minha ira


E corro, corro, corro
tão viva, viva, viva
Tão presente, sem vontade
de parar


E vem e me conta
se agora acabou
se já existiu


E essa inocente rebeldia
toda carente, todo dia
sei que vai passar, sei que vai passar




E corro, corro, corro
tão viva, viva, viva
Tão presente, sem vontade
de parar





(Este poema foi escrito a partir da apreciação do autorretrato da Nicia.
Esta é a segunda versão)

3 comentários:

  1. andreia de almeida7 de novembro de 2011 05:47

    Parabéns!
    Adorei! Incrível como se parece com material produzido no Teatro da Manhã. E se vc indicasse a leitura e trocasse idéias com a Mayara, a Luiza Otti e a Bianda? Creio que este texto colaboraria com a obra delas.

    ResponderExcluir
  2. Camila,
    sensacional! esse ritmo com tanta vivência dentro de tão poucas linhas mostra uma afinação no olhar que é bem bacana.Nada à acrescentar. Siga produzindo!

    Grande abraço,
    Elaine

    ResponderExcluir
  3. Gostei muito, principalmente do meio para o final do texto, onde você se preocupou um pouco menos com as rimas.

    O texto tem energia e a gente sente quando lê. Parabéns!

    ResponderExcluir